Cartas para Theodoro – será que você já existe?

Filhote, a mamãe está numa ansiedade. Queria dizer que é uma ansiedade boa, mas no fundo, estou com muito medo. E você vai descobrir logo que meu medo nasceu junto com a noção de ter alguém pra mim, de um jeito diferente de ter o papai. É que o médico pediu para esperar para fazer o exame e ainda faltam dois dias e, bem, mamãe queria fazer hoje.

Papai já ora falando de você, tocando minha barriga, sorrindo certo. Eu estou vacilando. Tenho tanto medo de não ter você que chega a doer. Mas estou me controlando, não choro mais, só um pouquinho… Filho, se você soubesse como é o desejo que sinto por você, me entenderia plenamente, mas desconfio que vai demorar alguns anos até compreender tudo isto. Por enquanto, só queria que soubesse que já te amo, sem nem saber se você existe mesmo. Acho que porque dentro de mim você sempre existiu, existe um espaço guardado só para você e que nada vai poder preencher. Deve ser isto.

Enquanto não chega o dia de fazer os exames, mamãe segue repousando, orando a Deus, tentando pensar em outra coisa, mas é em vão. Os amigos não mencionam nada, estão respeitando muito nosso momento de incerteza e eu louvo muito a Deus por ter amigos sinceros, de verdade. Não perfeitos, de verdade. É tão raro. Tão raro que tenho poucos, mas estes poucos serão seus também e sei que já oram por você, já te querem muito bem. Filho… você já é muito amado.

(Estes são alguns dos trechinhos das cartas que tenho escrito para meu filho. Espero que compartilhar estes pedaços, desperte em você amor e esperança.)

1 comment

  • Que lindo Fabi, fiquei emocionada. Que aflição (não sei se é a palavra correta) deveria estar sentindo. Sempre digo que você está linda demais. Esse olhar e esse sorriso expressando o amor pelo Theo são de Deus. Deus é muito maravilhoso.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *