Coisa do diabo

Coisa do diabo

Eu adorava novelas. Não me entenda mal e leia algumas linhas mais antes de me julgar. Sempre achei fascinantes os cenários, roupas e, principalmente, as histórias. Queria mesmo é ser escritora de novelas e lá pelos 12 anos até ensaiei um texto. O problema é que novelas eram proibidas na minha casa. Talvez daí meu fascínio pelas obras. Minha mãe, uma sincera e simples adventista me dizia com veemência que essas produções eram “coisa do Diabo”. Sem poder assistí-las perto dos meus pais, dava umas escapulidas para a casa dos vizinhos ou tias noveleiras. O fato é que minha mãe descobriu – como sempre fazem as mães – e se tornou cada vez mais difícil manter o hábito. Depois de ir para o internato aos 18 anos, não foi possível seguir naquela fuga do real que as novelas me proporcionavam e sem o torpor do irreal era possível analisar melhor o encanto dos folhetins sobre mulheres e homens. Elas mais que eles, sempre. Não achava tão satânico assim os enredos e demorei a entender que acompanhar essas produções baixam, aos poucos, nossa guarda. De tanto ver, o que antes causava fúria passa para estranheza, tolerância, aceitação e logo, logo chega à convicção de que é mesmo algo aceitável. E olha que nem estou falando de assuntos complexos e polêmicos como homossexualidade, tão na moda. Ao ouvir uma tia brigar com o marido e depois desabafar: “Por que eu fui me casar logo, podia ter esperado arrumar meu Giannechini, né?”, passei a me preocupar mais com o efeito a médio e longo prazo desse negócio lucrativo e exportado do Brasil para o mundo. Ok, guarde a crítica novamente. Acompanho quase todos os temas e personagens abordados pelas novelas, como qualquer pessoa que lê revistas semanais sérias, já que o assunto está sempre lá ocupando duas ou mais páginas, prova de sua força. Uma notícia me saltou aos olhos outro dia ao saber que em cerca de 20 capítulos, uma personagem trairia seu marido nove vezes e sempre com garotões. Uau, que façanha! A matéria justificava o comportamento da matrona por conta da grosseria do marido, rico, aliás. Quando nos pegamos torcendo pelo que é errado, achando justificativas “válidas” para isso e admiramos o vilão por ser bem mais interessante, é de se pensar no alto poder de corrosão desses roteiros. Quando seu marido (ou esposa) chega a perder a graça diante do padrão romântico criado pelas novelas, aí sim “é coisa do Diabo”, como diria minha mãe. E não tem como fugir do óbvio. O óbvio é que os cônjuges reais – que trabalham, roncam, têm chulé, mau humor de vez em quando e nem sempre trazem rosas e bombons após o expediente – não são páreos para os galãs folhetinescos que estão sempre com a frase perfeita, a melhor das intenções e uma trilha sonora de fazer suspirar. Oras, é injusto! A vida real tem trânsito, chefe chato, amigos desleais, mas também tem beijos apaixonados, carinhos sinceros, declarações derretidas, sorrisos incontidos e uma série de pequenos e louváveis sentimentos que, durante a rotina parecem nem existir se forem comparados às histórias das novelas. Ao escutar amigas e parentes reclamarem da própria vida – que só sentem prazer ao se estatelarem em frente a televisão por mais de três horas diárias em suspiros irreais, fascinadas por tramas com elementos previsíveis e de complexidade nivelada para crianças de 12 anos – penso se é prossível ter prazer na vida, na família e mesmo na Palavra de Deus com tamanha excitação dos sentidos proporcionado pela telinha. Eu não assisto novelas. Não porque não ache atraentes seus enredos. Não assisto novelas e acho que nenhum cristão sincero deveria vê-las porque é transformar a vida num palco menor. É trair meus princípios pouco a pouco e ser injusta com os mais sinceros esforços românticos do meu marido. Não assisto novela porque acredito na minha mãezinha: isso é coisa do diabo!

36 comments

  • O que deveríamos aprender é sempre assistir e ler as coisas discutindo e nos tornando conscientes. Sempre gostei de novelas e filmes, estou me formando em cinema agora. Eu assisto para me divertir e fico rindo a toa justamente por elas serem tão previsíveis e irreais. Quando me perguntam o que mais gosto nas novelas sempre respondo “Já reparou no fato de que todas as mulheres na novela já acordam maquiadas e escovadas, e os vilões sempre dizem seus planos e pensamentos em voz alta e nunca são pegos?” e eu reparo em tudo, nas luzes, nas decorações, nos estereótipos e arquétipos dos personagens, em seu comportamento, sua personalidade. De qualquer forma as novelas sempre trazem temas polêmicos para reflexão, tem seu lado negativo, mas tem seu lado positivo também. Todo vício é ruim, mas tudo depende do foco da pessoa. Já houve novelas que acompanhei religiosamente cada episódio, já outras eu descartei de cara, já outras, mesmo que eu gostasse, deixei para lá, pois sempre tive na cabeça o senso de que há coisas mais importantes. Eu assisto apenas quando estou comendo, durante o lanche da noite, ou quando vou a casa da minha avó. Ao contrário do que muita gente pensa as Novelas e os filmes são uma via de mão dupla. A Mídia como sempre é um via de mão dupla, afinal, é uma relação de pessoas. De um grupo de pessoas, para outro grupo de pessoas. As tramas apenas açucaram e enfeitam ações e histórias que DE FATO acontecem na sociedade e em troca muitas pessoas da sociedade que não eram expostas e essas realidades acabam conhecendo.
    O que é interessante ressaltar é de onde os autores das novelas tiram suas inspirações. Da vida e do cotidiano, e depois transferem para a tela. Acho que tudo passa da questão de uma análise de consciência e de prioridades. Proibir não é o melhor caminho, o melhor caminho, a meu ver, é sempre conscientizar, questionar o porque de evitar. O Cérebro humano odeia proibições, temos fascínio pelo proibido. Por isso muito mais fácil é conversar, explicar e induzir as pessoas a refletirem sobre e tomar sua decisão sobre do que proibir. E outra… Sabendo do ENORME potencial de influência desses meios as pessoas mais conscientes deveriam eram aprender todas essas técnicas televisivas para fabricar produtos que ao invés de valores distorcidos mostrassem valores positivos! Mas não as pessoas preferem proibir e demonizar ao invés de usar a ferramenta para um novo propósito. Se a própria Bíblia é usada por muitas pessoas para fazer o Mal, a Igreja já foi uma instituição coersiva, quem dirá o que se pode fazer com outros meios? As encenações e produtos audiovisuais de muitas Igrejas são PÉSSIMOS em qualidade justamente por esse medo enorme das pessoas envolvidas se exporem para ESTUDAR as técnicas e poder utiliza-las para o Bem. Eu como estudante de Audiovisual (Cinema, rádio e TV) tenho meus valores, analiso cada material que assisto, a maioria por obrigação, retenho tudo que posso de coisas boas, seja alguma técnica de luz, figurino, montagem, estrutura lógica, etc, e guardo para usar quando fizer meus trabalhos. Não ache que gosto de tudo, há clássicos cinematográficos que só assisti uma vez e quando falo que não gosto o pessoal só falta me crucificar, porque de fato não sou obrigada a gostar dos temas dos filmes. A minha “Briga” na faculdade é que todos gostam de suspense, terror, e fazer filmes com cenas de sexo, por sua complexidade é considerado um status, fazer filmes “fortes” para “chocar a sociedade tradicional” é o status, e eu com outra abordagem chego a ser até considerada chata e eu digo “Não gosto destes temas, gosto de fazer filmes que façam as pessoas sorrir e se sentirem bem, que levem mensagens boas, e não que façam todos saírem pesados, tristes ou exitados.”.
    TUDO pode ser usado para o Bem quanto para o Mal, basta que as pessoas aprendam a ponderar.

    Reply
  • Fabi,

    Gosto de muito do seu blog e principalmente esse seu jeito maravilhoso de escrever,
    me fascina muito essa simplicidade e ao mesmo tempo essa sabedoria em usar as palavras.
    Gosto muito de ler, embora não comente muito por aqui, mas quero que saiba a admiração que tenho por essa escritora linda e talentosíssima que você é.
    Por falar em ler, você saberia me informar quando vai sair de novo seu livro para comprar?
    Infelizmente não consegui comprar a tempo e estou doida para lê-lo
    Obrigada pelo talento e simplicidade
    Beijos

    Reply
  • Olá Fabi,
    as novelas são uma maneira ao meu ver de manipular as verdades, e vontades de uma sociedade. Ela dita moda, perfil de comportamentos, sexualidade, opiniões e etc.
    Basta a atriz chique da novela aparecer com algum acessório para ele se tornar febre nas lojas levando ao consumismo entre as mulheradas que desejam se parecer com a bendita cuja.
    As novelas se tornam um vício e como todo vício traz pontos negativos para quem o consome. Os cristãos de verdade deveria fugir dessa armadinha que só traz mensagens negativas e exemplos errados. Sei que muitos vão apelar falando do mal da internet, porém não estou aqui para criticar quem vê, e sim alertar as pessoas que preferem selar pelo relacionamento íntimo com Deus, para se policiar para as pequenas brechas não deixando as “raposinhas” passar.

    Reply
  • Amo novelas mexicanas e nunca tive essa visão de que novelas sejam do diabo.Sempre enxerguei como mais um trabalho assim como o teatro, o esporte, o jornalismo, a dança, a música , os filmes…Imagina se eu fosse deixar de ver o jornal por ele apresentar a violência…Então teríamos que desligar a TV por completo porque tudo o que passa na TV seria do diabo.Lembro-me da época que alguns crentes diziam que o computador era do diabo e hoje essas mesmas pessoas estão trabalhando com o mesmo.Nao entendo por que tudo o que é diferente e foge da realidade gostei o povo diz ser do diabo.Como esse diabo pode ser dono de tudo parece as vezes que o diabo para alguns cristãos é mais dono das coisas do que o próprio DEUS. Disse rodo totalmente que o diabo seja dono de algo quem dirá das novelas…Vou morrer ouvindo isso é não vou concordar.

    Reply
    • Eu tbem gosto de novelas Mexicanas haha!! Sao mais inocentes, estive no mexico varias vezes e la é um paid mais conservator, aqui nos estados unidos tbem, nao mostram gte de bikini rs, ja as do Brazil tao ridiculous… Nunca mais assisti, hj escolho melhor meu tempo 😉

      Reply
  • Bom, gostaria de começar dizendo que seu comentário sobre novela é algo positivo e que pode ajudar muitas pessoas.
    Mas, sem ser hipócrita (dizendo de mim), vou dizer que tenho o costume de sentar e assistir.
    Havia decidido que essa nova novela “Babilônia”, eu não assistiria. Não só pelo fato do nome já ter me chamado a atenção para o erro. Por ser adventista de berço, sei bem como foi a Babilônia. E sei também que nossos dias atuais são comparados a mesma.
    Que fique bem claro que enquanto eu morava em casa minha mãe nunca foi de acordo e não me deixava assistir. Mas, desde os 17 anos moro sozinha pelo fato da família ser do interior e eu ter precisado sair para estudar…
    Hoje, com quase 23, consigo ler um texto como o seu e entender que não é realmente saudável assistir novela. (Coisa que faço esporadicamente quando por acaso sento para comer algo na sala no mesmo horário).
    Mas o que prova que entra sim em nossa vida, é que antes disso, o horário se 21:15 até 22:40, eu não marcava nada com ninguém, não saía, não interagia com quem fosse. Era o horário da “sagrada” como muitos chamam, novela.
    A respeito da mulhe que traiu 9 vezes, a abordagem do autor vai além disso. Ele a coloca como uma doente, uma linfomaníca, como se isso justificasse assassinatos, mentiras, etc, etc…
    Bom, meu comentário deve ter sido diferente dos demais. (Não cheguei a ler todos, talvez 2).
    Mas que nós jovens, possamos criar forças (porque é difícil), para entender que o mundo encantado não existe. E mais… O que mostram como encantado, quando analisamos, não tem nada de encanto.
    Mais uma vez parabéns pela abordagem.
    Também sou uma apaixonada pela escrita e admirei o texto!

    Reply
  • Concordo plenamente com essa matéria, vim de um lar com crenças religiosas mistas e tinha como base o espiritismo eo budismo. Então novela quando eu era criança era um costume, jantar assistindo novela das oito.Devido a esse hábito , a única hora que estavam todos em casa, todo mundo se intertia com a novela .Na hora da novela só levava bronca se fizesse barulho , então nunca dei aqueeele valor, me casei cedo romance à moda romance de novela, aos 17 conheci Jesus, e nunca mais vi graça em novela, nem paciência para isso tenho.E de fato novela é mesma coisa que um cristão abrir a porta do inferno pra dentro de casa.

    Reply
  • Nunca fui ligada nas novelas, penso que isso é gerar na mente uma realidade paralela a que vivemos, tantos problemas reais ao nosso redor e geralmente as pessoas que assistem novelas se preocupam em como a mocinha vai resolver a vida dela, esquecendo que em casa temos jovens que podem se espelhar na mocinha que se envolve com um homem casado, engravida e quer ser feliz com ele, isso é inversão de valores , como vamos orientar nossas filhas que sexo antes do casamento não da vontade do Senhor se a mocinha se deu tão bem engravidando de um homem mais velho, possessivo, rico, que vai mudar a vida dela pra melhor, nas novelas tudo sempre da certo quando se começa errado, na vida real o errado é sempre errado, do princípio ao fim, que nossos jovens sejam libertos e abram os olhos para esse tipo de plano arquitetado pelo inimigo, Deus tenha misericórdia de nós. Bjs Fabi

    Reply
  • Boa Tarde! ( não sei se lê os comentários mas.. rsrs’)
    Bem, primeiramente parabéns por suas postagens, já faz um bom tempo que tenho acompanhado seu blog quase que diariamente( me identifiquei.. hihi’). Tenho 18 anos e sonho em me tornar jornalista, morar fora e tudo mais, sei que não mudará sua vida saber disso, porém, precisava dizer que tenho uma imensa admiração por você e seu trabalho Fabiana.
    Em questão do post, gostaria de comentar que estudo em uma escola adventista e lá aprendemos muitos valores, mas os alunos da minha sala em sua maioria, discordam do que é falado e uma das questões é a novela, não sei mais como agir ou o que argumentar para mostrar como os temas estão distorcidos, tanto em novelas, quanto em filmes, mas queria muito conseguir causar algum impacto ou fazer nem que seja uma pequena diferença naquela sala, pois os debates vivem acontecendo e a mentira tem prevalecido, fazendo vários alunos acreditarem. Não vim dar minha opinião sobre assunto por aqui, mas queria pedir oração em favor da nossa classe, sim chegamos a um ponto crítico por lá.

    Atenciosamente,
    Tainara Q.

    Reply
    • Oi, Tai, minha futura colega de profissão! Menina, este assunto é quente mesmo, pois afinal mexe com paixões, gostos e hábitos arraigados, mas posso te dar uma dica? Não tente convencê-los de nada. Mostre o seu ponto de vista, sua opinião e deixe-os avaliar, pensar nisso e com o tempo a verdade prevalece na mente de quem quiser. É um desgaste muito grande ficar tentando convencer os outros da nossa opinião e raramente a pessoa muda, só quando ela quiser, entender sozinha tudo o que já dissemos um dia. E muito obrigada por sua companhia diária, gata! beijocas

      Reply
  • Concordo completamente. Muitas vezes acabamos nos viciando em tais coisas, e abandonamos os princípios que nossos pais nos deixam. Mesmo eles nos proibindo de fazer ou assistir tais coisas…
    E querendo ou não essas coisas que acabamos assistindo nos fluência a fazer coisas “Boas” ( se é que existe ) , tanto ruins. Nós começamos, a criar o homem dos sonhos, todo saradão, bonitão, ou em outras palavras o homem perfeito. Também nos influencia a meter a faca no nossos pais, com essa tal de marca de roupas e tênis. Hoje o ser humano vale pelo o que tem e não pelo o que é. Sem falar que nos ensinar, a roubar, matar, trair, fumar, beber, mentir, etc… E o negocio agora não é mais ser BV., ainda peguei nas telinhas falando das pessoas baca vigem. Agora tudo se transformou em todo mundo tem que fazer sexo. Não pode ter mais um vigem entre os amigos, se não sofre bullyng. E a mais nova sensação ser gay é normal! Isso tudo vai contra a Bíblia. E querendo ou não assistindo essas porcarias isso vai fazendo com que achemos isso normal. Como diz a famosa frase: “o mundo está mudando”. Mas a Bíblia continua a mesma.
    Particularmente fui uma noveleira, mais aos poucos estou saindo desta furada, a cada dia sinto menos vontade de assistir.

    Reply
  • Li por inteiro. Sinto-me orgulhosa de ser uma dessas pessoas. Nunca fui ligada em novelas embora tenha assistido algumas delas. Não sou adventista.mas acho uma perda de tempo alguém fica vendo intrigas falsidadeds etc.. quando poderia fazer algo mais útil na vida.

    Reply
  • Concordo plenamente que é do diabo. Afinal o mundo jaz do maligno. E acredito que esse tipo de polêmica só gera propaganda gratuita. Novela é um assunto que não deveria ser tocado em mídia cristã. Novela é igual um livro só sei o que tem se eu abrir , e ovelha que fica em casa vendo novela é porque o pasto dado não está de qualidade. Falta MTA palavra no meio dos cristãos e por isso tem faltado amor e crescido o ódio onde não era ter. Não é o caso do seu post! Gosto muito dr seus pots concordo quase sempre , neste eu concordo só acho um pouco desnecessário mas essa é a minha opinião que não diminui o brilho das suas opiniões!
    Parabéns e Sucesso.

    Reply
  • Boa tarde Fabiana.
    Este comentário nem precisa ser publicado, pois é uma dica pra ti.
    Gosto muito dos teus textos, dos teus vídeos, mesmo não sendo teu público alvo, gosto de ler e ouvir pessoas inteligentes, em qualquer assunto.

    Apenas queria te sugerir que ao escrever os teus artigos tu separasse os parágrafos com uma linha em branco. Isso dinamiza a leitura, além de cansar menos. Fica esteticamente bom, separa os blocos de informação e facilita bastante a leitura de textos um pouco mais longos.
    Abraço.

    Reply
    • Rsrsrs
      Fui ver uns artigos mais recentes e tu já usa a separação de parágrafos…
      Sorry!
      Eu leio sempre no Face, não tinha visitado teu blog ainda. Em geral assisto teus vídeos no youtube.
      Acho que esta é a primeira vez que venho ao site. :/
      Desculpe, está show de bola!

      Reply
  • Concordo com você, a contaminação é tão sutil que não a percebemos. E é aí que mora o perigo. Confesso que muitas vezes fico fascinada pelo enredo. Mas tenho conseguido trocar as novelas por uma boa leitura. Gosto muito dos seus textos e já tem algum tempo que acompanho o blog. Parabéns pelo trabalho e obrigada por compartilhar conosco suas opiniões e experiências.

    Reply
  • Gostei muito do texto! O problema (talvez não o único) é que as pessoas se chocaram com um beijo entre 2 senhoras logo no primeiro capítulo, mas antes disso (muito antes disso) torceram pra o marido ficar com a amante, pois a amante era bonitinha, educada, o tratava bem…enquanto a esposa era uma megera que o tratava mal, “tinha que troca-la mesmo”, diziam!!! Antes desse beijo, tb, as pessoas torciam pata que o vilão morresse no final, pois ” fez muita maldade”, diziam!!!
    E assim por diante!!!
    Quer dizer, traição pode… Torcer pra o vilão morrer tb pode…. Achar bonito a filha ser prostituta (já que a vida foi tão injusta com ela e ela é tão boa filha) tb pode…. Beijo gay não pode!!!!!!!!!! Gente hipócrita!!!! Existe pecado, pecadinho e pecadão? Existe maldade, maldadinha e maldadona???
    Agora o povo vem dizer: Abaixo a Rede Globo!!!!!! Há anos essa emissora vem produzindo lixo!!!! Francamente….

    Reply
  • Ótimo Texto, acho que o mesmo vale pra muitos filmes, musicas, seriados, livros. Enfim outros tipos de entretenimentos. Acho que é preciso saber selecionar com o que você alimenta a sua alma.

    Reply
  • Muito bom texto, sou Adventista desde o berço, mesmo assim sempre gostei de novela e muito, principalmente as mexicanas, rs. Estava tão atolada na situação que cheguei ao ponto de quando não podia assistir, gravar para ver depois (Isso na adolescência). Hoje com 23 anos vejo que muitos conceitos meus foram corrompidos por conta desse hábito, comecei a ver que talvez uma determinada coisa errada não fosse tanto assim por conta de tal e tal justificativa. Pela misericórdia de Deus, após assistir o último capitulo da novela Império, caiu minha ficha, estava perdendo um tempo precioso com algo que não é bom para meu corpo e mente, que só faz mal, que entra em nossa alma aos poucos e vai tomando conta. Eu orei e pedi perdão a Deus por ter perdido tanto tempo com algo tão inútil e maléfico pra minha vida espiritual. Desde então não assisti mais nada, no lugar tenho me dedicado mais aos estudos, ao meu negócio, com livros, foi algo libertador. A novela é algo tão ruim, te muda tanto, falo por experiência própria. Ainda bem que temos um Deus tão amoroso que esta sempre disposto a nos ajudar, basta pedirmos.

    Amo seus textos, vídeos e livros, parabéns pelo trabalho maravilhoso e espetacular Fabi, grande beijo.

    Reply
  • Fabi, acho que posso chamar assim, desde que, já assisto seus vídeos e leio seus posts desde o início doa ano, ja ate li todos anteriores, nunca comentei mais senti a necessidade de fazer isso agora pois CONCORDO PLENAMENTE, eu simplesmente não assistia novela sei lá por enjoar e o fato de ser tao fora da realidade, agora tenho com certeza um argumento mais do que válido.

    Reply
  • Ao ler, lembrei da minha mãe que também não deixava eu assistir, principalmente malhação, todos meus amigos assistiam e comentavam e eu tinha muita vontade de assistir, por curiosidade. Mas novela não entrava na minha casa. Enfim, graças a Deus não ligo pra novelas… Podemos dizer o mesmo sobre seriados?

    Reply
  • Fabi, concordo plenamente com você. Por anos fui viciadíssima em novelas, há quase quatro anos tomei a decisão de não mais roubar meu tempo em família, para ficar deslumbrada diante da tela da tv. Tive uma crise de abstinência, fiquei deprimida, mas hoje me sinto liberta e acho tão ridículo gastar tempo com isso. Tenho convicção que ver novelas não agrada a Deus.

    Reply
  • Concordo com você, também fui muito “noveleira” durante minha adolescência, depois que comecei a ocupar meu tempo com coisa útil, passei a perceber o quanto é nocivo aos nossos princípios estas produções fictícias que acabam influenciando nossas mentes, pois tudo é bem pensado, cada detalhe é programado sabendo o efeito que irá causar nas pessoas, se algum dia novela foi criado para diversão isto não existe mais, hoje é para influenciar a sociedade, uma prova disso é a propaganda da Globo sobre responsabilidade social, assume que influencia na atitude das pessoas.
    Bem, mas vou deixar claro minha opnião a respeito da sociedade, a Globo não tem mesmo obrigação nenhuma de ser boazinha para a sociedade, cabe a cada um de nós sabermos que atitude tomar a respeito de alguns temas polêmicos que presenciamos no dia-a-dia, não acho também que é mérito somente das TVs esta “alienação” da sociedade refletindo o comportamento dos personagens da novela.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *