Como se escolhia um cônjuge em 1939 e o que mudou para hoje

Como se escolhia um cônjuge em 1939 e o que mudou para hoje

blog_casamento4Pense em como sua avó conheceu seu avô.

Ela provavelmente não deslizou para a direita por causa de uma descrição divertida em seu perfil no Tinder. O namoro mudou bastante ao longo das últimas gerações e com isto mudaram também as características que homens e mulheres valorizam ao escolher um companheiro.

Esta ideia é perfeitamente ilustrada por um gráfico que o economista Max Roser, do blog Our World in Data (Nosso Mundo em Dados), recentemente postou no Twitter.

 
blog_comoescolhia
O gráfico é feito com dados de um estudo publicado no Journal of Family Issues em 2013, em que três pesquisadores compararam como homens e mulheres heterossexuais classificaram a importância de 18 características em esposas e maridos; pela primeira vez em 1939, e depois novamente em 2008.

Como as preferências mudaram ao longo de quase 70 anos?

Em primeiro lugar, as características que as pessoas valorizam mais hoje. As linhas do lado esquerdo em verde indicam os traços que subiam em importância ao longo dos anos. Para homens e mulheres, a atração mútua e amor subiu até se tornar o traço mais importante em 2008. (Em 1939, as mulheres classificaram “caráter confiável”, como a qualidade mais importante em um futuro marido, enquanto os homens escolheram a estabilidade emocional e maturidade numa esposa.)

Aqui está o gráfico mostrando o que as mulheres disseram que querem e queriam, em 1939 e 2008:

blog_comoescolhia2

O que os homens queriam:blog_comoescolhia3

Para ambos os sexos, características como educação e inteligência, boa aparência, boa perspectiva financeira, a sociabilidade, nível educacional e visão política semelhantes ganharam importância  ao longo dos anos.

Mulheres consideraram um status social favorável para o seu parceiro mais importante em 2008 do que em 1939. Curiosamente, os homens manifestaram cada vez mais, ao longo dos anos o desejo por uma mulher para a casa e as crianças, boa de cozinha e prendada no lar – talvez porque essas qualidades deixaram de ser um requisito a se olhar em um esposa, pelo menos para se dizer em público, sob risco de um belo tapa e ser chamado de machista.

As tabelas abaixo mostram o que perdeu importância nestes anos. Para homens e mulheres, a importância da castidade despencou da 10ª posição em 1939 para a 18ª em 2008.

 

O que as mulheres já não querem tanto:
blog_comoescolhia4

E o que os homens responderam:

blog_comoescolhia5

Estabilidade emocional e maturidade, uma disposição agradável, boa saúde,  refinamento e bom gosto também já não interessam tanto para ambos os sexos.

Para as mulheres, visão religiosa semelhante e desejo de casar e ter filhos tornou-se menos importante na hora de escolher o companheiro, enquanto os homens colocaram menos valor na ambição e diligência em suas esposas. Será que esta pesquisa é uma pista para entender porque os casamentos duravam mais? Dê sua opinião!!

Fonte: Washington Post

7 comments

  • Oi Fabi! Ótima matéria! Os valores mudaram realmente por uma boa parcela da população. Mas acredito que ainda há muitos modernos à moda antiga. Rs Isso me trouxe uma discussão que rolou na minha turma da faculdade… Você acha que o “moral” muda sempre junto com o tempo? Moral e o imoral também. Porque na discussão lembrei do motivo de a Geisi Arruda ter se tornado famosa e pensei que se o que ocorreu com ela acontecesse em 2016, ela não estaria famosa….

    Reply
  • Oi Fabi, tudo bem? Gosto muito dos seus textos, achei essa pesquisa bem interessante. Só a inversão das 3 primeiras características já dizem muita coisa. Passaram a atração mútua e amor à frente da maturidade e do caráter. Esse negocio de atração mutua é complicado, rs, nem sempre é amor, as vezes acaba sendo inconsequente, sem considerar justamente o caráter e a maturidade da pessoa, que são fatores que influenciam muito na estabilidade de um casamento. Muitos se casam ou ficar com alguém porque “ama” perdidamente, sem olhar esses fatores. E quando descobre que o amor era paixão e ela acaba, se o parceiro não tem um bom caráter para admirar e maturidade para sustentar o casamento e transformar isso em amor, como fazer isso dar certo? Beijos!

    Reply
  • Nossa Fabi! com essa pesquisa deu pra ver bem porque os casamentos duravam mais! Porque o ser humano passou a valorizar outras coisas, e deixou de lado aquilo que é realmente importante.. Triste.
    Mas adorei o artigo!
    Parabéns!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *