Em terra de cego…

Meus posts andam um tanto voyeur. Sabe como é. Junção de familiares, observação dos hábitos alheios e dá nisto. Perdoem-me a frequência e divirtam-se com  as coincidências. Sim, pois ser humano é tão engraçado que até tentando ser diferente é igual. Desculpas dadas, vamos aos fatos: tem gente que é cego! Aí me lembro de que em terra de cego quem tem um olho é rei e o ditado faz mesmo sentido na história que vou contar.

Um jovem casal. Ela mãe dedicada e esposa fiel que cultiva o desejo de uma família tipo comercial de margarina. Ele simpático e trabalhador que não resiste a um rabo de saia e sempre enxerga a grama do vizinho mais verde que a sua. Contudo, nem pensa em abandonar sua “propriedade”, por considerá-la mais nobre que a vizinhança, mas quando enjoa do seu quintal, e isto é toda semana, vai se refestelar em outros territórios. Infidelidade? Não exatamente, como ele tenta explicar. Sim, não esconde de ninguém as escapulidas, só da própria interessada e diz que se alguém contar, ele jurará de pé junto que é mentira. Afinal, casamento não se desfaz. É sagrado!

Detalhe nem é o adúltero nesta história e sim a traída que – inteligente como só – veste a capa de ignorância e afasta do pensamento a verdade que grita aos seus olhos e escapa maldosamente pela língua da vizinhança. É que vizinha nesta hora… As  amigas não querem contar para não “se meter” e ela prefere assim. Pois tem o marido, o filho, a família completa. Pra que atrapalhar se ele monta a fantasia tão bem?Cá pra nós, o cara é bom pra inventar histórias.

Comentando sobre a fulana o assunto virou para consultas médicas e ouço do meu pai: “Eu é que não vou ao médico! Estou muito bem, mas é só ir pra lá que aparece um monte de problema, igual carro em mecânico.” Meu pai é fumante há anos e daqueles que comem cigarros. Já tentou várias vezes se livrar do vício, sempre com fracasso, e sente-se como vítima da guerra, prisioneiro dela. O fato é que sua tosse e capacidade pulmonar dão vistas de problemas e ele sempre responde enfaticamente que ser for ao médico e fizer exames vai achar um câncer, por isto prefere morrer sem saber.

Não entendo tudo nesta vida, nem perto disto, aliás, contudo estes enredos me ensinam algumas coisas: algumas pessoas têm uma habilidade incrível de colocar a verdade em algum canto oculto do cérebro e nunca mais a resgatar, pois deixá-la à mostra é tão dolorido que não saberiam lidar com isto e sua forma de sobreviver é negar os fatos e inventar outros mais dóceis para colocar no lugar. Parece ignorância, burrice… mas não é. É só uma proteção que funciona muito bem com alguns e ninguém tem o direito de alterar, pois algum dia terá que lidar e consertar a própria ferida.

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *