Mulheres pra contemplação

Minha mãe foi feita pra ser mãe. E esposa também! Ela faz tudo com carinho e devoção quase tangíveis. Um tanto demais, às vezes, mas gostoso de sentir que é uma coisa. Tem mulheres que são assim, talhadas pra servir e fazer dos outros seus projetos de melhoramentos. Algumas mulheres nasceram pra ser mães.

Outras, pra ser parceira. Pode ser do marido, do amigo, da galera. É aquela mulher legal demais, contaminada com uma alegria que não se sabe de onde veio e aonde leva. Ela é feminina sim, mas pode deixar de ser, se te convém. Topa tudo e estapeia todos para uma boa diversão. Daqueles modelos de se levar a tiracolo numa viagem, de se agarrar numa tempestade emocional, daquela que chora junto, ri como gralha feliz e enche o ar de brilho, como bolinhas de sabão. Muitas, bastante mesmo.

Contudo, ando percebendo que também foram planejadas mulheres pra conquistar. Assim, só. Não pra casar, não pra ter filhos, menos ainda pra ter pra sempre. É um negócio difícil de explicar que confunde a gente. Ela é bonita, mas não precisa ser. Pode ser engraçada, mas não tem graça nisso. De longe se contempla e se quer chegar mais perto. Perto mesmo, nem é tão bom assim, daí volta-se a uma certa distância. Como um quadro que precisa ser olhado meio pra lá, com uns passos pra trás.

Eu conheço algumas assim. Foram feitas pra atrair a atenção e na infelicidade de seus corações vazios compreendem aos poucos que não serão as mães adoradas, as esposas dedicadas, nem a alegria despojada. Só – e muito – a mulher adorada, cobiçada. Que se quer, mas não quer pagar, pois alguns momentos de contemplação já aquecem o coração, transtornam a razão e suprem a ambição contida. São fascinantes. Mas não se pode ser feliz com elas… não foram feitas pra isto.

6 comments

  • Sempre tive plena convicção de que era a mulher do século,independente,”dona do meu nariz”,fui casada uma vez,e quando houve a separação,me tornei ainda mais “blindada”.Aí venho o segundo casamento,meu esposo e eu concordamos que não trabalharia ao menos neste primeiro ano,aí me vi,entre afazeres,roupas,minhas atividades na igreja,e está sendo uma delícia,me descobri uma excelente dona de casa…sim somos diferentes,em tudo mas somos acima de tudo mulheres de Deus.

    Reply
  • Humm…complicado isso…as vezes acho q sou essa “pra contemplação”…sempre foi do meu instinto conquistar, mas nw querer possuir…ainda bem q agora sou de Jesus…rsrs…e e encontrei meu amore, mas ainda nw me encontrei acho q sou um pouco de cada…e por ser um pouco isso nw é o bastante.Sei lá…só axo..

    Reply
  • O mundo se encontra cheio de mulheres para serem conquistadas. E também com mulheres que possuem o dom “multifuncional”, cuja conquista também está embutida, mas não com com o mesmo brilho. É uma pena algumas pessoas não notarem isso.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *