Sociedade do “tem que”!

Sociedade do “tem que”!

Como é fácil ser um milionário, agarrar o homem dos sonhos, ficar magra e linda, bem sucedida na profissão e ter um orgasmo! Sim, está nos livros inundando nossa mente de expectativa e nosso coração de frustração. É só dar uma voltinha pelas livrarias – e a prateleira dos mais vendidos – bem como nas bancas de revistas em qualquer esquina.  São manuais, guias de conduta e “pensamentos adequados” para se chegar aqui ou ali.

Do jeito que estão dispostos e disponíveis é mesmo tentador pensar que basta querer para trabalhar 4 horas na semana e ficar rico. Ou ainda que com uma mudancinha básica é perfeitamente possível conquistar um milionário e deixar todos os homens aos seus pés, sem falar que é a coisa mais natural do mundo ser magra, bonita ou saradão! Ah, não… você não é rico e lindo? Fracassado! Perdedora!

É bem de nós humanos a sensação de querer o que não temos, de focar no impossível e adorar provocar ciúmes e ostentar o invejável. A indústria e a publicidade já descobriram isto há algum tempo e usam com maestria de fórmulas prontas e bem manjadas – eficazes, apesar de conhecidas! – para causar insatisfação  induzir ao consumo. Acontece que eu me recuso a esta chantagem emocional.

Claro que não estou imune. Você também não, viu! Contudo, conhecer, perceber e reconhecer nosso valor e individualidade, apesar dos rótulos e obrigações sociais é uma ponte para saltarmos sobre este mar insano de perfeição inatingível. Mesmo porque, caríssimo leitor, se fosse mesmo tão fácil ser rico, bonito e bem-sucedido, não haveria pobres, feitos e fracassados. Além disso, riqueza para um pode ser a fonte de miséria sob olhos dos outros, o que eu acho bonito aqui, é feito lá na ásia e ter sucesso, ah, ter sucesso é assim tão relativo, meu bem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *