Tudo é vaidade

Tudo é vaidade

Quando eu leio que as tranças e os cabelos frisados são desaconselhados na Bíblia, sem estudar mais o assunto já posso pensar que a mãe que trança o cabelo da filhota pra ir brincar no quintal está induzindo a criança ao erro do cultivo da vaidade. Isto porque, antes de tudo precisamos entender o contexto em que alguns conselhos foram dados e como isto se aplica na nossa vida, nossa cultura. Vamos papear sobre o assunto? (repare no parágrafo abaixo que nos dá um pouco do contexto histórico)

Ainda sobre as tranças…

“O apóstolo menciona três casos ilustrativos do tipo de adorno que ele considera impróprio para a mulher cristã. O primeiro é o “frisado de cabelos”(emplokestrichon). Essa é uma expressão técnica que descreve um tipo específico de penteado, comum durante o tempo de Pedro, particularmente entre mulheres ricas. Era um estilo elaborado de pentear-se fazendo tranças, de altura fora do comum, e que às vezes era “sustentado por um arame ou laca”. Sem dúvida, ‘estes penteados requeriam tempo para serem construídos, às vezes por meio de um ferro de fazer cachos e frequentemente com a ajuda de uma escrava’. O cabelo era algumas vezes enfeitado “com incontáveis lantejoulas de outro ocultando quase inteiramente o cabelo, brilhando e reluzindo a cada movimento da cabeça’.” (O uso de joias na Bíblia, de Ángel Manuel Rodrígues)

16 comments

  • Concordo contigo Fabi.
    Faço parte de uma igreja em que as mulheres não podem usar saia, maquiagem , blusa de alça,entre outras coisas sabe?!!!
    Respeito a doutrina da minha igreja mas não concordo com tudo, sei que nem tudo que a igreja diz ser “errado” estar na bíblia (uso de calça por exemplo). Essa semana um irmão da minha igreja compartilhou um vídeo no face que achei bem machista(vô deixar o link se puder dá uma olhada). Pra eles mulheres santas são aquelas que se vestem que nem uma velha, com a saia abaixo do joelho,blusa de manga e um coque no cabelo kkkkk. Como se isso dissesse alguma coisa sobre o caráter da pessoa.Mas tudo bem,sigo a doutrina da igreja na medida do possível, não só pela igreja mas para agradar a Deus.

    Reply
  • Antigamente eu era super conservadora. Pensava que todos tinham que se vestir cobrindo tudo e sem maquiagem e outras coisas mais. Hoje me libertei e acho que cada um usa o que quiser e da forma que se sentir bem. Hoje prego a liberdade, porque regras só nos faz pecar mais. Eu vivi minha vida inteira aprisionada em regras. Hoje estou lutando por liberdade, ainda estou engatinhando mas um dia chego lá. Se cada um viver do jeito que quiser sem pessoas julgando tudo que você faz teremos um mundo melhor.

    Reply
  • Fabi, eu me formei e ganhei de uma amiga um anel de formatura, eu não compraria mas como ganhei eu uso, e meu pai usa esse texto para dizer que não devo usa-lo.

    Reply
  • Oi Fabi, sou sua fã, muito bom teu blog e teus vídeos, mas deixa eu ver se entendi, senão me corriga. Então não existe certo e errado, tudo depende do ponto de vista de cada um, do que é modeste e discreto???

    Reply
    • Claro que existe certo e errado, mas no vídeo eu quis mostrar que o que os apóstolos (Pedro e Paulo, principalmente) expõe, são princípios e ninguém é hábil de verdade para julgar o outro baseado em princípios que podem variar lá na sua ponta, de cultura para cultura. beijocas

      Reply
  • bom, se tudo é vaidade, independe a cor do esmalte. vaidade é fazer a unha. tanto faz se você pinta de vermelho ou nude. se o batom é cor de boca ou vermelho sangue. aliás, fico pensando: por que as pessoas tem tanto pé atrás com o vermelho – boca vermelha – unha vermelha – vestido vermelho – não foi Deus que fez as cores?? na nova terra não terá flor vermelha??? penso que tudo é lindo. que Deus quer ver seus filhos bonitos, com alegria de viver. quando as pessoas entenderem o amor de Deus vão parar de fazer da religião um fardo. a religião será uma bênção e não uma maldição como algumas pessoas fazem dela.

    Reply
    • Olá Fabricia
      Acredito que o preconceito quanto às cores de esmaltes vêm das origens, tribos, ou mesmo tipos de pessoas que nos tempos antigos não eram vistas como povo de Deus e costumavam usar esse tipo de cor. Deus criou sim, todas as cores, como tudo que existem em nosso mundo, mas é como a Fabi mesmo disse, tudo tem base cultural, e as pessoas que muitas das vezes criticam isso têm base nesse sentido.

      Reply
  • Olá Fabiana!
    Tenho um grande problema com essa questão da “vaidade” feminina. Conheci Jesus há uns 6 anos atrás, e eu sempre fui apaixonada no bom sentido pela maquiagem, pelo cuidado feminino, não desprendendo horas na frente de um espelho, mas poder me olhar e me sentir bonita.
    Hj eu faço parte de uma denominação não tão conservadora, mas que de certa forma ocorre muito os julgamentos pelos “olhares” e isso de um tempo pra cá me incomodou tanto que eu não consigo mais ir a um culto nem com um gloss discreto. A sensação que eu tenho é que parece que Jesus não aprova quando eu por mais discreta que seja a maquiagem. Eu gosto, não vou negar de maquiagem, mas ao mesmo tempo tenho tanto medo de desagradar ao Espírito Santo que acabo me privando disso. Nessa questão me sinto muiiiiitttoo confusa ainda!!!!! Ore por mim. Bjs!!!

    Reply
  • Fabi, muito obrigada pelo vídeo, pois estou passando exatamente por essa situação! Antes de me converter eu era muito vaidosa e narcisista, metida a geek e intelectual. Aí depois que me converti, percebi o quanto era errado. Ms estou com muita dificuldade em encontrar um equilíbrio, pois a mulher de Provérbios 31 não era uma relaxada, desleixada, e como você mesmo disse, que Paulo não manda não se ataviar, mas tem que ter bom senso e modéstia. Já fiz “jejum” de jóias, de maquiagem, uma vez dei quase todos os meus cosméticos, várias roupas joguei fora, e agora estou em um propósito de ficar 1 ano sem comprar roupas. Mas vejo a facilidade em ficar “fixada” nessas coisas, mesmo fazendo tudo isso, agora estou encanada com meu cabelo (pra você ver como estou, esses dias no culto eu estava pensando em cabelo), já pensei até em dar todos os meus cremes de cabelo e ficar com ele feio hehe mas vendo o seu vídeo percebi que esse assunto não é tão simplista, acho que temos que tratar a vaidade do nosso interior primeiro. Senão só vou estar mascarando minha vaidade, pois se tiver essa idolatria aqui dentro, sempre vai ter algum escape; a gente vira um sepulcro caiado, simples por fora e vaidosos por dentro. Aí a atenção sai do cabelo, vai pra sapato, sai de sapato e vai pra bolsa, e nosso universo feminino é infinito pra consumismo. Acho que é preciso orar a Deus pra Ele esquadrinhar nosso coração (cfe. Sl 139) e nos mostrar a raiz dessa vaidade… mas não tenho uma opinião engessada e totalmente formada sobre isso, estou aprendendo ainda.

    Reply
  • Esclarecimento maravilhoso! A vaidade sempre esteve em nosso meio, mas não existe ninguém capaz de me livrar dos excessos dela se não for Cristo.

    Reply
  • Concordo com vc Fabi, antes de conhcer a igreja adventista eu não ia na esquina sem me arrumar e colocar aqueles brincos enormes, gastava todo o meu dinheiro em bijuterias. Conheci a igreja e hj não uso mais brincos enormes , até fiquei um tempo sem usar nada mas entendi q usar brinco ou não, não irá fazer eu ser menos espiritual do que os outros. Hoje utiliso só brincos pequenos e quando lembro de colocar. Até acredito que muitas pessoas saem da igreja por conta desta pressão.

    Reply
  • concordo com tudo que você disse, graças a deus minha mãe sempre me orientou a me arrumar mas ser discreta, e mus pastores sempre nos aconselhavam sobre, tanto as mulheres e homens, mas acho que o maior perigo não esta naquela menina que vai de saia curta pra igreja ou batom vermelho, mas sim nas imãs que ficam criticando ela sem ao menos tentar ajudar, falta pessoas pra aconselharem essas jovens de forma amável, infelizmente muitas irmãs só falam delas mas não tentam ajudar, sem sabem que todos nós somos responsáveis pelo reino e todos que nele estão.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *